02/10/2018

Fã de Eyshila joga CDs no lixo após apoio a candidato e ela responde

A cantora gospel Eyshila continua sua saga política nas redes sociais, e as discussões não param entre ela e seus seguidores que não concordam com sua posição partidária. Ela é eleitora declarada de Bolsonaro (PSL) à presidência da república, mas desde que assumiu seu voto, tem recebido diversas críticas em suas redes sociais.


A desta vez foi inusitada. Ao fazer propaganda de um livro do Pr. Silas Malafaia, Eyshila usou hashtags em apoio a Bolsonaro no Instagram, e recebeu um comentário de um fã, que disse ter se desfeito da coleção de CDs originais que possuía da cantora gospel, por saber que ela vota e faz campanha para o presidenciável pelo PSL: “Não dá mais para ouvir tuas músicas sabendo que você apoia alguém como Bolsonaro”, disse ele.
Eyshila então respondeu dizendo que sentia pena pelo prejuízo da perca da coleção original, e disse que esse ato demonstrava que o fã era intolerante, não seu candidato.
Esta não é a primeira discussão política da cantora gospel na internet. Semana passada ela pediu respeito por conta de sua decisão de apoiar um candidato à presidência, e usa suas redes sociais quase diariamente para publicar alguma coisa relacionada à campanha presidencial, ao contrário de Fernanda Brum, que decidiu se abster de influenciar politicamente seus fãs e seguidores. 
Com informações portal do trono

Conference SINTONIZADOS em Camaçari


























Nos dias 26, 27 e 28 de outubro acontecera a conferência SINTONIZADOS, com as seguintes atrações: LUMA ELPIDIO / TAISLA HENGEL / TAILSON ALMEIDA e THALITA PENELUC e com a ministração da palavra com o PR. Diogo Dantas / Pr. Antonio Souza / Evangelista Vinicius.

Local: Igreja Batista Lirio dos Vales - Camaçari

Adquira seu ingresso na rede social (@redesintonizados) no instragam





Filha da cantora gospel Vanilda Bordieri revela que foi abusada por homem aos 4 anos

A cantora gospel Vanilda Bordieri compartilhou com seus seguidores nesse fim de semana uma história bastante doída e particular. Sua filha, Eloísa Bordieri, veio à público revelar que foi violentada quando tinha apenas 4 anos de idade, por uma pessoa próxima da família.

Vanilda Bordieri é candidata à deputada federal pelo partido Patriota (RJ), e disse que, embora relutasse em contar a história de sua filha para não ser usada como arma de campanha eleitoral, viu que era necessário após a própria filha decidir expor. Uma das bandeiras da cantora gospel é a “defesa pela família, e luta contra a pedofilia. Confira abaixo o relato de Eloísa Bordieri sobre a violência que sofreu:

Vanilda Bordieri, posteriormente, publicou ao seus seguidores que não conseguia comentar o episódio porque sempre se abalava, por isso decidiu escrever. E disse que sua filha só a contou sobre o fato, que ocorreu aos 4 anos da criança, muito tempo depois, pois sentia medo.


A cantora gospel disse ainda que sente bastante pesar, pelo fato do violentador estar solto até hoje, por falta de provas: “Fui atrás de políticos, pastores, psicólogos, e ninguém pôde fazer nada, por falta de provas. Mesmo tendo influência e conhecimento, não consegui ajudar minha filha em nada…”, conta ela.
Por fim, ela pediu orações para ela e sua filha: “Orem por nós. A pedofilia deixa traumas irreparáveis na vítima e em quem não conseguiu protegê-la”, concluiu a cantora, que disputa o voto dos eleitores evangélicos com outras candidatas ao Congresso Nacional que são cantoras gospel. 
Com informações portal do trono

Fernanda Brum faz relato sobre sua doença e é incurável e pode atingir artistas gospel

Fernanda Brum, uma das maiores cantoras gospel do país, abriu o coração para falar sobre a doença que lhe aflige e que a está fazendo dar um freio na puxada rotina: a Síndrome de Burnout. Ela descobriu a doença há algum tempo, e desde então deixou seus fãs pensativos quanto à gravidade da doença e como isso afetaria seu ministério.
Dias atrás, Fernanda Brum passou mal e precisou ser levada ao hospital, sendo recomendada pelos médicos a passar uma semana de repouso, sem qualquer atividade. O motivo do mal-estar foi justamente a síndrome que lhe acometeu. Mas afinal, o que essa doença causa?
Segundo informações do Hospital Albert Einstein de São Paulo, a Síndrome de Burnout que atingiu Fernanda Brum começou a despontar na década de 60, mas atualmente tem ganhado contornos mais expressivos aqui no Brasil. Ela é causada pelo estresse no trabalho, principalmente entre pessoas que são muito exigentes consigo mesmas, e está mais presente nas profissões que afetam a vida de terceiros por trabalharem com gente, como médicos, advogados, juízes e professores. Artistas, como os de música gospel, que possuem um imenso público e que acabam preocupados pela responsabilidade espiritual que eles possuem na vida dessas pessoas, são um prato cheio para a síndrome.
O termo Burnout significa “Burn” (queima) e “Out” (fora), porque a doença acaba afetando o exterior das pessoas, tornando-as constantemente cansadas, com fadigas musculares, dores de cabeça, irritabilidade, alterações de humor, falta de sono, de apetite, e até mesmo depressão, por isso requer muitos cuidados. O tratamento basicamente consiste em repouso e terapia, além da mudança de alguns hábitos diários para diminuir o impacto do trabalho na qualidade de vida. Não há cura definitiva, mas pode ser controlada, garantindo ao paciente boa qualidade de vida.
Hoje (29) de madrugada, Fernanda Brum utilizou suas redes sociais para compartilhar com seus seguidores sobre a experiência de estar enfrentando a doença. Ela disse que tem se ocupado com artes, das quais gosta muito, e deixou claro que está direcionando seu tempo para cuidar mais de si mesma, pois só assim conseguirá cuidar dos outros também. 
Com informações portal do trono

Ex-atriz pornô afirma que “Deus foi o único que preencheu o vazio que havia em mim”

Candia é um exemplo vivo de superação ao descobrir Jesus. Ela, que foi abusada sexualmente na infância, acabou se tornando uma stripper e mais tarde se envolveu com a indústria de filmes pornográficos. Apesar de ter tudo o que ela queria, sentia um vazio em seu coração, que somente foi preenchido por Jesus.

“Quando eu era mais jovem, me senti culpada por muitas coisas. Toda vez que havia um problema dentro de casa, eu pensava que era por minha causa”, disse ela em entrevista à CBN News.
Candia cresceu acreditando que o mundo estava contra ela, até mesmo Deus. "Eu nunca seria o que Deus queria que eu fosse. Eu senti como se Ele estivesse sempre com raiva de mim. Como se Ele estivesse sempre desapontado comigo. Eu estava sempre me arrependendo".

Aos 12 anos, quando foi molestada por um membro da família, Candia se culpou. “Eu provoquei isso? O que eu fiz? O que houve em mim que fez com que isso acontecesse?", pensou. "Eu queria alguém que pudesse colocar seus braços em volta de mim e me segurar. Mas isso não aconteceu. Eu estava muito solitária, mas sabia que ia acabar".

Desesperada, ela se casou com seu primeiro amor aos 18 anos. Mas o que deveria ser um conto de fadas se tornou um caos. Então, Candia aceitou o conselho de um amigo e se tornou uma stripper.

Conquistas
Logo em sua primeira noite no palco, ela estava nervosa. "Houve aplausos, houve todo tipo de comentários agradáveis", lembrou ela. “Eles me queriam. Você pode imaginar não apenas uma pessoa, mas várias pessoas ao mesmo tempo te aplaudindo? Eles gostavam de mim”, lembrou.
Candia passou de se despir em bares e fazer filmes adultos. Quando fez tinha 30 anos, se tornou uma viciada em cocaína e viajava pelo mundo como uma estrela pornô e acompanhante de alto nível. Na época, ela morava em Las Vegas.

Ela diz que seus clientes eram pessoas da alta sociedade. “Eu tinha clientes que se eu dissesse seus nomes, você saberia quem eles eram. Atletas, atores, CEOs. Eu estava alimentando meu ego, preenchendo essa necessidade de ser bem sucedida e desejada”, explicou.
Candia atuou em mais de 80 filmes pornô e se casou pela terceira vez. Mas, depois de 16 anos na indústria, Candia percebeu que ainda não tinha o que queria. "Eu estava no topo de tudo", ela compartilhou.

"E eu tinha tudo que dizia querer, o que me faltava? Eu tinha feito tudo o que havia para fazer nos filmes. Eu tinha feito tudo o que havia para fazer nos clubes, eu tinha feito tudo o que havia para que eu tivesse segurança. Mas, eu não conseguia mais me olhar no espelho”, pontuou.
“Não sei por que, mas era como se tudo que eu fizesse estivesse preso, como se eu estivesse sem esperança. Ele recusou, mas depois disse que chegou a ouvir a voz de Deus: 'Eu tenho algo a mais para você. Mas eu não saber o que era isso", enigma.

Gestante
Candia abandonou a indústria e o marido, quando descobriu que estava grávida. Esgotada e sem ter para onde ir, ela estendeu a mão para suas duas irmãs que foram a Las Vegas para buscá-la. Quando chegaram, Candia havia abortado. Ela largou a última droga e voltou para Minnesota com suas irmãs.
Ainda desesperada, ela aceitou ir à igreja. "Não havia mais nada a não ser Deus", ela disse. "Eu estava tão desapontada comigo mesma". Foi nesse momento que ela lembrou-se da voz que ouviu meses antes: "Eu tenho algo mais para você".
Naquele dia, ela finalmente percebeu que Jesus era o amor que sempre quis. "Eu sempre fui muito tímida e ele havia acabado de me perdoar. Jesus preencheu esse vazio que havia dentro de mim. Ele é o único que preencheu esse vazio para mim".
Candia, agora feliz e mãe de quatro filhos, compartilha sua história com qualquer um em busca de amor incondicional. "Há um Deus, Ele ama você. Ele quer ter um relacionamento pessoal com você. Você tem que acreditar?", finalizou.


Confira o testemunho (em inglês):


FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA CBN NEWS

Quase 100 pastores foram presos por Exército em Mianmar

Um grupo étnico armado prendeu recentemente quase 100 pastores e forçou estudantes de teologia a se juntarem às tropas do estado de Shan, no norte de Mianmar. As informações são da Rádio Free Asia.

Testemunhas que fugiram da região norte de Wa, que faz fronteira com a China, informaram que 92 pastores foram mantidos presos pelo Exército do Estado Unificado (UWSA, na sigla em inglês), segundo um porta-voz da comunidade étnica Lahu Baptista.

“A UWSA também recrutou à força 41 estudantes, homens e mulheres que estavam fazendo aulas de estudos teológicos em várias igrejas, e 52 igrejas na área de Mongpauk foram fechadas, outras três foram destruídas”, disse o pastor.

O grupo armado também ordenou que um grupo de clérigos católicos e professores, incluindo cinco freiras da Sociedade Missionária deixassem a região, disse outro líder cristão à agência de notícias UCAN.

A UWSA divulgou uma declaração no Facebook no dia 6 de setembro, declarando que todas as igrejas, missionários, professores e clérigos existentes deveriam ser investigados, para encontrar trabalhadores estrangeiros proibidos e apoiadores de atividades missionárias ilegais.

O texto também disse que todas as igrejas construídas depois de 1989 (quando o Partido Comunista entrou em colapso) devem ser destruídas, com exceção de uma feita com a permissão do governo, e que nenhuma nova igreja será permitida.

No início deste mês, Nyi Ran, um oficial de comunicações da UWSA disse: “Os líderes militares acreditam que existam extremistas religiosos no território Wa, incluindo missionários que não obtiveram permissão oficial e membros do clero que estão operando fora da lei".

Segundo a UCAN, não existem igrejas católicas na área de onde o grupo foi expulso. Em vez disso, eles se reuniam nas casas dos padres. Também informou que os pastores batistas foram presos após interrogatório e “todas as escolas batistas foram fechadas”.

Wa é um estado autônomo em Shan, na fronteira com a China e a Tailândia, que não é reconhecido pelo governo de Mianmar. A UWSA é o maior exército não-estatal de Mianmar e acredita-se que seja apoiado pela China.

Fonte guiame COM INFORMAÇÕES DO WORLD WATCH MONITOR

Governo da China quer “reescrever” a Bíblia e obrigar igrejas cantar hinos comunistas

O governo chinês está supervisionando um plano de cinco anos para tornar o cristianismo mais compatível com o socialismo, no qual haverá uma “reescrita” da Bíblia, disse um proeminente ativista da liberdade religiosa ao Congresso.
O reverendo Bob Fu, ex-líder chinês de igrejas domésticas que imigrou para os Estados Unidos em 1997 e fundou a organização chinesa China Aid , forneceu detalhes durante uma audiência na quinta-feira sobre um plano aprovado pelo Estado da China, que pretende sancionar as denominações através da ‘Sinicização’ do cristianismo.
Como a repressão à religião na China fez com que muitas igrejas domésticas fossem demolidas e milhares de cruzes removidas das igrejas em todo o país, Fu avisou antecipadamente que o que está acontecendo agora na China representa o maior grau de perseguição para grupos religiosos independentes que o país já viu em décadas.
“A liberdade religiosa na China chegou realmente ao pior nível que não foi visto desde o início da Revolução Cultural pelo presidente Mao [Zedong] nos anos 1960”, disse Fu aos membros do Subcomitê de Relações Exteriores da Câmara sobre a África, Saúde Global, Direitos Humanos Globais e Organizações Internacionais.
No centro deste novo nível de perseguição está a nova regulamentação da China sobre assuntos religiosos que foi lançada no ano passado, mas promulgada em 1º de fevereiro. Segundo Fu, a revisão dos regulamentos religiosos deve guiar ativamente a religião para “se adaptar à sociedade socialista”.
Em um testemunho escrito, Fu disse que sob os novos regulamentos os locais de atividades religiosas “aceitarão a orientação, supervisão e inspeção de departamentos relevantes do governo do povo local com relação à administração de pessoal, finanças, ativos, contabilidade, segurança, proteção contra incêndios, proteção de relíquias, saúde e prevenção de doenças e assim por diante“.
Fu disse que, a fim de cumprir as novas regras religiosas, o Movimento dos Três Patriotas e o Conselho Cristão Chinês (órgãos protestantes sancionados pela China) desenvolveram um plano de cinco anos para “promover a Sinicização do Cristianismo“.
Fu explicou que o CCC e o TSPM realizaram um seminário em julho passado para discussão preliminar sobre o plano quinquenal. Ele acrescentou que o esboço do plano foi finalizado em uma reunião em março deste ano
O plano propõe “cultivar e implementar os valores centrais socialistas“. O plano será supervisionado pelo escritório nacional de assuntos religiosos e “todos os seminários e igrejas do TSPM e do CCC da província, região autônoma e do município cooperarão com ele“.
Uma maneira pela qual eles pretendem sinimizar o cristianismo, disse Fu, é “retraduzir” o Antigo Testamento e fornecer novos comentários ao Novo Testamento para fazer os ideais socialistas e a cultura chinesa parecerem mais divinos.
“O plano deixou claro que ‘Sinicization of Christianity’ significa mudar ‘Cristianismo na China’ para ‘Cristianismo Chinês’”, explicou Fu. [O plano] enfatizou que “o coração e a alma da Sinicização do Cristianismo é Sincizar a teologia cristã“, e até propõe “re-traduzir a Bíblia ou reescrever comentários bíblicos”.
Fu disse ainda, uma retradução seria um resumo do Antigo Testamento com algumas escrituras budistas e ensinamentos confucionistas e novos comentários para o Novo Testamento.
“Existem esboços de que a nova Bíblia não deve parecer ocidentalizada e [deve parecer] chinesa e refletir a ética chinesa do confucionismo e do socialismo“, disse Fu ao The Christian Post após a audiência. “O Antigo Testamento será confuso. O Novo Testamento terá novos comentários para interpretá-lo.“
Fu acrescentou que o plano de cinco anos defende a “incorporação dos elementos chineses aos cultos da igreja, hinos e canções, roupas de clero e o estilo arquitetônico dos edifícios da igreja“.
“Isso inclui ‘editar e publicar músicas de adoração com características chinesas e promover a Sinicização da música de adoração’, usando formas de arte exclusivamente chinesas, como pintura chinesa, caligrafia, inscrição e corte de papel para expressar a fé cristã“. . “Também está incentivando as igrejas a se misturarem ao estilo da arquitetura chinesa ao estilo arquitetônico local“.
Fu disse que enquanto mais de 4.000 a 6.000 cruzes de igrejas sancionadas pelo Estado foram derrubadas, igrejas que têm crucifixos no interior devem “colocar fotos do Presidente Mao e do Presidente Xi [Jinping] nos dois lados da cruz”.
“No início de cada culto da igreja, o coro da igreja tem que cantar algumas canções revolucionárias comunistas louvando o partido comunista antes que possam cantar as canções de adoração“, detalhou Fu.
Houve relatos de que as autoridades estaduais foram de porta em porta tentando convencer os cristãos a assinar uma declaração renunciando à sua fé cristã.
“Pela primeira vez desde a revolução cultural, o partido comunista está agora implementando uma política para obrigar os cidadãos fiéis chineses a assinarem uma forma de renunciar à sua fé“, disse ele. “Nós produzimos documentação mostrando [funcionários do governo] indo de porta em porta para forçar os crentes a assinar uma forma preparada, alegando que esses crentes foram enganados por evangelistas em acreditar no Cristianismo. Agora, após algumas semanas de auto-exame e estudos políticos, eles perceberam que cometeram um erro. Isso não aconteceu no passado “.
Em algumas províncias, eles até proibiram as crianças de irem à igreja.
Fu disse que há também um plano para fechar cerca de dois terços das igrejas sancionadas pelo Estado na China, em um esforço para fundi-las. Autoridades estaduais também pediram que 20 mil igrejas domésticas fechassem e se juntassem a igrejas sancionadas pelo Estado, de acordo com Fu.
Embora os líderes dessas igrejas e denominações sancionadas pelo Estado já tenham sido aprovadas pelo governo, Fu disse que o clero foi forçado a passar por outra rodada de exames para garantir que sua lealdade seja a uma festa diante de Deus.
“O primeiro critério que eles têm que passar é se eles podem prometer publicamente que irão (cumprir)  as palavras do partido e o caminho do partido”, comentou Fu. “Esses slogans estão sendo pendurados ao redor da igreja, mesmo em muitas igrejas católicas, nas paredes e nas portas. Na porta de entrada, diz: ‘Ouça as palavras da festa, siga o caminho da festa.’ Como você pode ter uma fé real e independente como crentes? Como crentes cristãos, somos ensinados a obedecer ao mandamento do Senhor e ouvir o mandamento do Senhor, essencialmente, o partido comunista quer se impor como o Senhor sobre a igreja. ”
Fu disse ao CP que, de acordo com o ex-presidente do MPTA, eles acreditam que a “doutrina da justificação da fé por Jesus Cristo é muito estreita“.
“Ele está promovendo a justificação pelo amor em fazer boas ações. Ele essencialmente disse que Deus é muito inclusivo, então esses heróis do partido comunista que ele listou estão fazendo muitas boas ações e eles devem ser aceitos no céu pelo nosso Deus”, explicou. “É uma espécie de doutrina universalista“.
Centenas de líderes cristãos na China assinaram uma declaração neste mês condenando os novos regulamentos, a crescente perseguição e controle que o partido está tomando sobre as igrejas.
“Nós acreditamos e somos obrigados a ensinar a todos os crentes que todas as igrejas verdadeiras na China que pertencem a Cristo devem manter o princípio da separação entre igreja e estado e devem proclamar Cristo como a única cabeça da igreja“, diz a declaração.
“Declaramos que em questões de conduta externa, as igrejas estão dispostas a aceitar supervisão legal pela administração civil ou outros departamentos governamentais, como fazem outras organizações sociais. Mas sob nenhuma circunstância levaremos nossas igrejas a se unirem a uma organização religiosa controlada pelo governo, Se inscrever no departamento de administração religiosa ou aceitar qualquer tipo de afiliação, nós também não aceitaremos nenhuma ‘proibição’ ou ‘multa’ imposta às nossas igrejas devido à nossa fé. Por causa do Evangelho, nós estamos preparados para suportar todos perdas – até mesmo a perda de nossa liberdade e nossas vidas “.
Ativistas pediram ao governo dos Estados Unidos que rotule a China como um “país de preocupação particular”, uma designação do Departamento de Estado que traz consigo o potencial de sanções adicionais. O otimismo foi expresso durante a audiência de que o Departamento de Estado poderia estar prestes a designar a China como um país de preocupação particular. Em sua reunião ministerial para promover a liberdade religiosa em julho, o Departamento de Estado divulgou uma declaração formal condenando a China por suas violações à liberdade religiosa. No entanto, a declaração foi assinada apenas por três outras nações.
Com informações The Christian Post via Padom