03/05/16

Semana Evangélica de Candeias 2016, confira as atrações

Semana Evangélica de Candeias 2016 será iniciada na próxima quarta-feira (11). O evento contará com pregações, louvores e grandes nomes da música gospel para abrilhantar e animar os cristãos da cidade, turistas e todos que apreciam os louvores a Deus.

Realizado pelas Igrejas Evangélicas, com apoio da Prefeitura Municipal de Candeias, através da Secretaria de Cultura e Turismo, o evento acontecerá na Área de Lazer atrás da Central de Abastecimento. O presidente da Comissão dos Pastores deste ano, Jucivaldo Barbosa de Jesus, observou que o empenho conjunto das igrejas e Prefeitura permitiram a realização da festa, mesmo em tempo de crise. “Mesmo neste momento difícil, conseguimos nos organizar junto à Prefeitura para essa grande celebração da cultura cristã, que já é um anseio anual da comunidade evangélica, ” disse. Em obediência às leis municipais, a Prefeitura de Candeias vem apoiando todas as manifestações culturais da cidade, independente de credo.

O objetivo do apoio a esse tipo de evento é de tratar com isonomia a população e seus grupos religiosos, contribuindo para o fortalecimento de entidades que auxiliam o serviço público na prevenção e combate às drogas e à criminalidade, e serviços assistenciais, por exemplo. “Um estado laico não é um estado ateu, mas aquele que promove a boa convivência entre todos os credos e até a ausência deles.

Como tal, o Poder Público tem o dever de apoiar as manifestações religiosas, por isso conversamos com os pastores, explicamos as dificuldades financeiras e juntos conseguimos manter o calendário religioso”, contou o prefeito Sargento Francisco. Neste ano, o evento receberá o mesmo tema do ano de 2014: “Jesus, Nome sobre todo nome”, e seguirá até o dia 14 de maio.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO:

Dia 11/05 (quarta-feira): 19h:

Abertura Cantores de Playback
Pregação Pr. Josevaldo
Atração Musical – Edvânia e Banda 22h30: Encerramento  

Dia 12/05 (quinta-feira) 19h:

Abertura Cantores de Playback
Pregação Ap. Luis Alberto
Ministério Marca da Promessa 22h30: Encerramento  

Dia 13/05 (sexta-feira) 19h:

Abertura Cantores de Playback
Pregação Pr. Ornelas
Atração Musical – Taysla Hengel e Banda
Irmão Lázaro 23h50: Encerramento  

Dia 14/05 (sábado) 19h:

Abertura Cantores de Playback
Pregação Pr. Ademir
Ministério Missão Ágape

Kléber Lucas






29/04/16

Jovem esfaqueia pastor e porteiro durante culto em GO

O porteiro e o pastor de uma igreja evangélica em Porangatu, Goiás, foram esfaqueados por um jovem de 23 anos que invadiu a igreja para praticar o crime.
As câmeras de segurança da igreja mostram a hora que o jovem entra no templo durante o culto que acontecia nesta terça-feira (26) no período da noite.
Sem camisa e com a faca na mão, ele agride primeiramente o porteiro, Faleno Vinhal Ribeiro Neto. O porteiro é empurrado e acaba sendo atacado com a faca, fazendo um ferimento em sua mão.
Ao ver a cena, o pastor João de Deus dos Santos, de 52 anos, tentou conter o agressor, mas acabou caindo e foi esfaqueado na nuca.
“Observei um homem vindo com uma faca grande na mão. Ali, naquele momento, quando eu pulei nele, o meu pé enganchou em um dos fios do retorno do som. Antes de ir ao chão, ele conseguiu me acertar na nuca”, diz o pastor que foi socorrido e já recebeu alta.
O porteiro foi levado ao Hospital de Urgências de Anápolis (Huana) com o ferimento na mão e continua internado.
Os fiéis que estava no culto se assustaram e saíram correndo. “Foi muito desespero, uma cena de terror mesmo porque a gente não esperava. Mas graças a Deus, o pior não aconteceu”, disse a cantora Jocivalda Moisés.
Para o pastor atacado, o jovem estava “visivelmente drogado e aparentemente embriagado”. O religioso viu o jovem andando no bosque que fica em frente à igreja, local usado pelos usuários de drogas da cidade.
“Ele iria entrar para fazer tumulto. A mãe dele, já falecida, frequentava a igreja. Ele é desviado. Pouco antes, tinha ido lá, mas o porteiro conversou com ele e evitou a sua entrada. Ele saiu, pegou uma faca no bosque e voltou”, disse o pastor. Com informações G1 / gospel prime
Assista:

28/04/16

Maioria dos pastores não acredita no arrebatamento antes da Tribulação

A maioria dos pastores acredita que Jesus vai voltar no futuro. Mas poucos estão de acordo sobre os detalhes do Apocalipse. Um terço dos líderes evangélicos esperam que os cristãos sejam arrebatados, ou levados para o céu ao encontro de Jesus, antes que comece o período da Grande Tribulação. Cerca de metade deles acredita que um falso messias conhecido como o Anticristo aparecerá em algum momento no futuro.
Estas são algumas das conclusões de uma nova pesquisa sobe a teologia do fim dos tempos promovida pelo Instituto LifeWay Research. Os estudiosos ouviram mil pastores, das principais denominações, incluindo luteranos, metodistas, batistas, presbiterianos, assembleianos e outros pentecostais.
Segundo Scott McConnell, vice-presidente da LifeWay, as questões teológicas do final dos tempos continuam sendo assuntos populares entre os fiéis. “A maioria das pessoas querem que o seu pastor pregue sobre o livro do Apocalipse e o fim do mundo”, diz ele. “Mas essa é uma tarefa complicada. Os pastores e os estudiosos muitas vezes discordam sobre como os acontecimentos relativos ao fim irão se desenrolar”.
McConnell entende que não é algo totalmente ruim que os pastores discordem sobre os detalhes do Apocalipse. A maioria concorda com os principais ensinamentos sobre a Segunda Vinda. Para ele, os outros detalhes não afetam diretamente a vida cotidiana da maioria dos cristãos.
O foco da pesquisa abordou três aspectos principais:
O momento do arrebatamento (1 Tessalonicenses 4: 15-17 e Mateus 24)
A natureza do Anticristo (1 João e 2 João e outros textos)
O milênio, quando Jesus reinará por 1.000 anos (Apocalipse 20: 1-10)

Arrebatamento é assunto que mais divide opiniões

Cerca de um terço (36%) dos pastores acredita no pré-tribulacionismo, ou seja, o arrebatamento antes da Grande Tribulação. Nesse cenário, os cristãos verdadeiros não passam pelo período de turbulência onde os que ficaram na terra sofrem grandes problemas. Um quarto dos pastores (25%) acredita que o arrebatamento não é literal.
Ao mesmo tempo, dezoito por cento acham que o arrebatamento acontecerá depois da tribulação (18%). Uma minoria defende que o arrebatamento já aconteceu (1%), ou que irá ocorrer durante a tribulação (4%), ou antes da ira de Deus ser derramada sobre a terra (4%). Um grupo não concorda com nenhum destes pontos de vista (8%), ou não tem certeza sobre o que vai acontecer (4%).

A maioria espera o Anticristo, mas discorda sobre datas

Os pesquisadores também descobriram diversos pontos de vista conflitantes sobre o Anticristo. Cerca de metade dos pastores (49%) dizem que o Anticristo é uma figura humana que vai surgir no futuro. Outros dizem que não há um Anticristo (12%), mas seria apenas uma personificação do mal (14%), ou de uma instituição (7%). Seis por cento dizem que o Anticristo já esteve aqui.

Pré-milenismo é comum

Os pastores também discordam sobre os detalhes do reino milenar. Cerca de metade (48%) acreditam no pré-milenismo, visão de que um reino de Cristo por 1.000 anos acontece no futuro. Quase um terço (31%) defende o amilenismo, ideia de que não há um milênio literal, mas sim que Jesus já governa os corações e mentes dos cristãos.
Um em cada 10 (11%) acredita no pós-milenismo, perspectiva de que o mundo irá gradualmente tornar-se mais cristão, até que Jesus volte. por gospel prime

“Arca de Noé” chega ao Brasil nas Olimpíadas

Arca de Noé construída pelo holandês Johan Huibers foi inaugurada em 2012. Dono de uma empresa de construção civil, em Dordrecht, perto da capital Amesterdã, Hubiers é evangélico e decidiu seguir passo a passo as instruções encontradas no Livro de Gênesis sobre a Arca original.
O custo total foi de quase um milhão e meio de dólares. Embora existam debates entre os estudiosos sobre as medidas, a réplica mede cerca de 135 metros de comprimento, 22,5 metros de largura e 13,5 metros de altura, que correspondem às proporções dos côvados indicados nos capítulos 6 a 9 de Gênesis.
O resultado é um verdadeiro navio, que tem quatro andares e o comprimento de um campo de futebol.
Com capacidade para 5.000 pessoas, o projeto é trazer a arca junto com as palestras, filmes e discussões bíblicas que são promovidas nela desde a inauguração. A embarcação funciona ainda como uma espécie de museu, com réplicas de animais em tamanho natural, mostrando como deve ter sido durante o dilúvio.
Nesses 4 anos, já foi visitada por mais de 600 mil pessoas. Huibers, que já trabalhou como missionário, agora deseja espalhar sua missão evangelística pela América do Sul, Central e do Norte.
Conforme o site oficial, trata-se de uma “jornada da esperança”. Seu primeiro destino fora da Holanda é o Brasil. Ele planeja chegar com a réplica bíblica durante as Olimpíadas e ficar no país durante um período de dois anos (podendo chegar a até quatro).
Huibers anunciou que além de oferecer acesso livre as populações carentes e órfãos do país, pretende entregar Bíblias para cada criança que visitar a embarcação.
Além do Rio de Janeiro o roteiro da Arca incluiria Fortaleza, Manaus, Belém, Recife, Salvador, Vitória, Santos, Florianópolis e Porto Alegre. Posteriormente, seguiria para Montevidéu, no Uruguai, Buenos Aires, na Argentina, San Francisco e Seattle, nos EUA. Com informações de Christian Headlines

25/04/16

Pastor afirma que a Igreja jamais deve atuar na política, mas o cristão “tem o dever” de fazê-lo

A atual crise política e econômica que o país atravessa é um sintoma de um “país em formação”, segundo o pastor Luiz Sayão, e que o papel do cristão na atuação política é essencial, embora a Igreja deva se abster de envolvimento.

Sayão, 53 anos, é escritor, linguista e hebraísta, dirigente da Igreja Batista Nações Unidas e participou recentemente da 96ª Assembleia da Convenção Batista Brasileira.

Para o pastor, esse momento em que muitos escândalos de corrupção vêm sendo passados a limpo deve ser encarado como uma oportunidade: “A gente nunca deve ver esse cenário como negativo — existem cenários muito piores do que o nosso pelo mundo — mas como uma oportunidade de aprender”, afirmou, em entrevista ao portal Guia-me.

“Eu acho que essa crise está sendo importante para o brasileiro deixar de ser um pouquinho alienado e priorizar elementos que são periféricos para se pensar adequadamente em quem nós somos e quem queremos ser”, opinou.

Sobre a Igreja, o sacerdote destaca que a instituição deva se abster do envolvimento na política, cenário exatamente oposto do que se tem visto em denominações pentecostais e neopentecostais: “A igreja, como instituição, tem um foco: a missão de anunciar o Evangelho e trazer esse Evangelho para o homem sem Cristo”, frisou, acrescentando que a Igreja deve se envolver em outros tipos de programas que tragam benefícios para a sociedade.

Em contraponto, os cristãos, individualmente, devem se envolver nas questões políticas exercendo sua cidadania, opinou o pastor: “Os indivíduos cristãos que fazem parte da igreja não só têm o dever, mas a responsabilidade de se envolver politicamente para fazerem diferença no meio onde estão, assim como Daniel fez quando estava na Babilônia”.

Por fim, Sayão vê uma possibilidade promissora de futuro para o papel que a Igreja tem a desempenhar com o país: “Tendo essa distinção, eu creio que a gente vá caminhar em uma direção saudável, sem confundir as coisas, sem praticar a promiscuidade de vender a igreja para interesses políticos e sem trabalhar na direção de uma omissão e um distanciamento onde as coisas estão ruins e a gente não faz absolutamente nada”, concluiu.

Por: O Nortão