sexta-feira, 22 de maio de 2015

Pastor mata namorado da filha no Acre

Um pastor evangélico suspeito de esfaquear e matar o namorado da filha se entregou à polícia nesta quarta-feira (13) em Rio Branco (AC).
O acusado é Valmirez Peres que junto com dois filhos matou José Celeste Souza, 26 anos, que segundo a família já havia agredido a namorada e estava tentando convencê-la a fugir.
“Ele fez isso para defender a família”, diz Mayara Peres, 22 anos, uma das filhas do pastor. ” O cara [vítima] tinha ido no sábado lá na minha casa e fez uma confusão, tudo porque ele queria levar minha irmã embora. O relacionamento deles durou dois meses.”
Segundo a jovem seu ex-cunhado era agressivo e até um boletim de ocorrência contra ele foi feito. “Vamos trazer os boletins de ocorrência que foram feitos depois que ele bateu na minha irmã. Tem como comprovar que minha irmã foi agredida. Em nenhum momento meu pai pensou em fugir. Ele cometeu um crime e está disposto a pagar”.
Mayara afirmou que quem ajudou o pai a matar José Celeste foi seu irmão de 20 anos e a irmã de 17. “Meu pai poderia fugir da Justiça, mas não vai fugir da Justiça de Deus. Meu irmão está aguardando o advogado ver a situação do meu pai para depois vim se entregar”.
O acusado deu seu depoimento na delegacia e logo foi liberado, pela lei brasileira quando o suspeito não é preso em flagrante ele fica em liberdade até ser condenado. Os dois filhos do religioso ainda não se apresentaram à polícia.
A delegada Wânia Lília, da Delegacia da 5ª Regional em Rio Branco, afirmou que o pastor alegou legítima defesa. “Ele resolveu comparecer com seu advogado e nós continuaremos com as investigações, para chegar em um resultado final. Segundo ele, era um problema de família, ele não concordava com o relacionamento da filha, que se relacionava com a vítima. Nós iremos continuar com o inquérito para dar uma solução para as famílias”.

Família da vítima pede justiça

O crime aconteceu no dia 10 de maio e o jovem faleceu no dia seguinte, após passar por duas cirurgias e sofrer três paradas cardíacas. A família de José Celeste sofre pela perda e pede justiça.
O padrasto da vítima, Sifrônio Bezerra, de 55 anos, fala que o filho era inocente. “Meu filho foi morto inocentemente, ele estava trabalhando. Em momento nenhum meu filho bateu na namorada. Eu também não queria que ele namorasse essa menina, cheguei a retirar ela de dentro da minha casa”, disse.
O aposentado diz que não conhece a família do pastor, mas afirma que estão tentando matá-lo, pois na terça-feira (12) uma motocicleta passou atirando em sua direção. “Poderiam estar me velando hoje”, acusa.
A irmã de Souza reafirma a perseguição e diz que a família precisou se mudar com medo de retaliações.
“Estamos sendo ameaçados por eles, minha mãe não dorme mais em casa, estamos dormindo na casa de um e de outro, porque não podemos voltar para casa. Estamos jogados por aí por causa dele [suspeito] e ele está na rua, perseguindo a gente e tentando tirar nossa vida. Eu peço Justiça, por favor. Que as autoridades nos ajude e amenize nossa dor, colocando esse homem atrás das grades”, disse Verônica Bezerra. Com informações G1

Thalles Roberto, ‘deixa’ o gospel e grava musica secular romântico

O cantor Thalles Roberto, deu um ‘tempo’ no gospel tradicional para gravar um cd com músicas românticas, que além de ser homenagear a sua esposa, serve também para ‘faturar $’ no mercado secular.

Após assinar contrato com a gravadora multinacional Universal Music, o cantor lançou o cd “As Canções Que Eu Canto Pra Ela”, onde tem musicas românticas que ele compôs para sua esposa, Daniela.
Em entrevista a UOL ele explica sobre o seu relacionamento dizendo que: “Nós temos uma história muito bonita de infância, de amor. Viemos de realidades muito distantes. Ela era filha de médico e eu, de vidraceiro. Ela era loira e eu, negro”.
O resultado tem agradado o cantor: “A recepção vem sendo muito positiva”, comemorou Thalles, que publicou uma série de vídeos explicando os detalhes de cada faixa.
Na mesma entrevista, Thalles afirmou que ‘bebe na fonte da música secular’ na hora de compor suas canções, tendo a influencia de artistas como, Milton Nascimento, Lô Borges, Beto Guedes, Djavan, entre outros.
“Falar do amor à luz de Deus, sem pornografia, sem bunda”, diz o cantor ao afirmar que essa uma boa oportunidade de mesclar a música gospel com outros estilos musicais.
Sobre sua incursão em um mercado fora do meio evangélico, o cantor não nega que quer avançar fronteiras: “A cada dia que passa, os cantores gospel percebem que não podem ficar em uma garrafa. Eles precisam sair do nosso meio para levar a palavra. O público gospel não ouve música secular, mas eu posso levar outras pessoas a fazerem o caminho contrário”, teorizou.
Thalles Roberto com carreira secular, não é novidade para muitos, pois no ano passado ele já mostrava evidencias que pretendia expandir sua carreira para esse segmento, ao afirmar que não concordava em ser chamado de cantor religioso. “Sou evangélico, levo trechos da Bíblia para minhas letras, mas não concordo em ser chamado de cantor religioso. Minha música não é restrita para um público apenas. Quero atingir o maior número de pessoas possível”, afirmou.
O que você acha da atitude do cantor Thalles Roberto? Portal Padom

domingo, 17 de maio de 2015

Músico que queimou Bíblia reclama de perseguição

Quando resolveu queimar um exemplar da Bíblia para “protestar” contra o cristianismo, o vocalista da banda Violação Anal, Roberto Oliveira, não imaginava a repercussão que o ato teria em todo o país.
Estudante da Universidade do Acre (Ufac), foi dentro do campus, durante um evento de ateus, que Oliveira queimou o Livro Sagrado dos cristãos e agora está reclamando de ser perseguido por esses religiosos.
Em uma carta endereçada ao padre Massimo Lombard, reitor da catedral Nossa Senhora de Nazaré, o jovem diz que hoje entende que errou, mesmo estando dentro do “seu direito de liberdade de expressão”.
“No exercício da minha liberdade de expressão, acabei por ferir o direito à liberdade de outros, agora vejo e compreendo isso. Compreendo que errei. Não no conteúdo de minha crítica, mas na forma”, escreveu Oliveira.
A carta é uma resposta a um documento aberto assinado pelo padre onde ele tenta ensinar ao jovem que Bíblia é um instrumento de paz, amor e respeito. “Queimar bíblias, quebrar imagens, humilhar o outro pela religião que professa, satanizar a crença do próximo, hoje, no terceiro milênio constitui um atraso cultural imperdoável para um universitário”, escreveu o padre.
Mas não é este amor que alguns internautas estão enviando ao jovem ateu, pois segundo ele alguns cristãos estão perseguindo e enviando ameaças. “Estou sendo perseguido, afrontado e constantemente atacado por pessoas que se dizem cristãs”, diz ele que até perdeu o emprego por conta da repercussão do caso.
“Pessoas que tiram fotos com suas Bíblias com tom ameaçador e me enviam por redes sociais com ofensas, ou que proferem palavras de ódio a mim, não acredito que vivam plenamente este amor.”
Oliveira será investigado pela Delegacia da 4ª Regional do Acre após o enviou de um documento feito pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP), pois o ato do universitário fere o artigo 208 do Código Penal Brasileiro. gospel prime