19/04/2018

Família birmanesa é rejeitada por ser cristã

Tun é um cristão birmanês que pertence à tribo Chin, uma pequena tribo que também é a maior comunidade cristã em Mianmar. Ele deixou a cidade natal no estado de Chin para servir a Deus em outro estado, em uma aldeia de maioria budista. "As pessoas olham para nós, cristãos, como forasteiros", disse ele a Portas Abertas.

Segundo Tun, a vizinhança não cristã diz que eles possuem um “vírus duplo C”, são Chin e cristãos. “A verdade é que as tribos maiores querem tirar nossa identidade. Eles querem que falemos o idioma deles e tenhamos a fé a religião deles”, diz o cristão.
“Em novembro de 2008, participei do treinamento da Portas Abertas Permanecendo Firme Através da Tempestade (PFAT) pela primeira vez. E o que aprendi sobre Jesus realmente tocou meu coração e mudou minha maneira de pensar. Antes do PFAT, eu era um cristão nominal. Lá, aprendi mais sobre a vida de Jesus e tudo mudou. Eu me tornei mais próximo do Senhor”.

Segundo Tun, apesar de não ter vivido violência física, ele e a família experimentaram a perseguição de forma indireta. “Aqui, porque somos Chin e cristãos, mesmo se nos juntarmos ao exército para lutarmos lado a lado, seremos separados dos outros. Não temos direito a nada, estamos sempre em segundo ou terceiro lugar”, complementa.
Apesar disso, o pastor Tun prepara a família e igreja para orar intensamente, permanecer forte e perseverar para quando a perseguição vier. “Eu preciso preparar minha família também, minha esposa, filha, filho e pais. Eu digo a eles: "Caso eu seja colocado na prisão, ou se eu morrer, não fiquem surpresos, vocês devem perseverar e manter a fé. O Senhor fará a parte dele, nós faremos a nossa”.
Pedidos de Oração
-    Coloque diante de Deus a vida de Tun e dos familiares para que eles possam ser fortalecidos a cada dia e cresçam na fé.

-    Ore para que, apesar da perseguição, eles consigam ser sal e luz na comunidade onde vivem e mais pessoas conheçam a Cristo.
-   Ore pela Igreja Perseguida em Mianmar, país que em 2018 está na 24ª posição da Lista Mundial da Perseguição.

Com informações portas abertas

Nenhum comentário:

Postar um comentário