03/08/2018

"Outra página de Atos está sendo escrita", dizem cristãos perseguidos no Oriente Médio

A Igreja no Oriente Médio passou por muitas complicações nos últimos anos. Alguns dizem que a vida dos cristãos hoje representa os heróis do passado, no lugar onde o cristianismo nasceu. 

Na região, aqueles que acreditam em Jesus sofrem terríveis perseguições, mas há um grande otimismo entre eles.
"Eu vejo que a Igreja está em pé e forte, com todas as dificuldades, com todas as atrocidades e com toda a perseguição", disse Yvette Isaac à CBN News. "Eles sabem por que estão de pé".





A egípcia acredita que isso ocorre porque os cristãos no Oriente Médio continuam o testemunho dos primeiros crentes. "Eu realmente acredito que, todos os dias nesta parte do mundo, outra página do livro de Atos está sendo escrita", disse ela. "Todos os dias, uma nova página está sendo escrita".

Yvette quer que a Igreja no Ocidente saiba o que está acontecendo no Oriente Médio. "Há irmãos e irmãs que vivem lá. E se não fosse por eles, em primeiro lugar, não ouviríamos sobre o cristianismo no Ocidente. Por causa da Igreja no Oriente Médio, o cristianismo se espalhou por todo o mundo".
No entanto, Yvette diz que a pressão sobre os cristãos tem sido enorme. "O foco do inimigo é destruir a gente. O foco do inimigo é esvaziar o Oriente Médio do cristianismo. Então, ele está colocando toda essa pressão sob as pessoas", disse ela.




Mídia cristã
Yvette apresenta um programa de televisão no Oriente Médio e acredita que a mídia cristã pode desempenhar um papel para ajudar os cristãos perseguidos. "A Igreja precisa conhecer a verdade. A mídia religiosa precisa ir ao ar e mostrar o mundo de lá", afirmou.
"Se dependermos apenas da mídia secular, teremos apenas o que a agenda deles quer que o mundo veja. Mas a conscientização é muito importante. É por isso que temos muitos testemunhos de cristãos que sofrem. Nós contamos suas histórias", ressaltou.
Uma das histórias que Yvette conta é sobre os cristãos que sofreram nas mãos do Estado Islâmico. "Nós vamos para o Iraque, para a Síria e tentamos ajudar as meninas que saíram do cativeiro", explicou ela.



"Cristãos na Síria e no Iraque, eles não querem falar muito. Provavelmente é medo. Mas quando nós vamos lá, eles se abrem. Eles sentem que podem se abrir e contar suas histórias. Então, nós compartilhamos suas histórias, com permissão, para o mundo", contou.
Yvette espera que cada parte do Corpo de Cristo faça algo. "Qual é a minha parte? O que eu sou chamado a fazer, especialmente no mundo ocidental? A igreja ocidental precisa entender a importância da existência dos cristãos no Oriente Médio neste momento", finalizou.

COM INFORMAÇÕES DA CBN NEWS

Nenhum comentário:

Postar um comentário